• Announcements

    • Fórum actualizado   02-09-2015

      O Fórum foi substituído por um software mais recente com funcionalidades melhoradas, nomeadamente ao nível do acompanhamento dos tópicos e posts, bem como na interacção através de dispositivos móveis. Os dados de acesso, tópicos, artigos, tópicos subscritos e a generalidade dos dados será mantida. Numa primeira fase a apresentação do fórum estará em Inglês, mas será traduzida. O design será também trabalhado ao longo do tempo, pelo que pedimos a maior compreensão na adaptação ao mesmo.Quaisquer problemas que forem entretanto identificados, por favor comunicar através de forum arroba financaspessoais.pt .

Contrato renda 2013

12 posts in this topic

Posted · Report post

Boa tarde

Vou alugar casa agora em Fevereiro e informaram-me que tenho duas possibilidades , alugo com contrato mas sem recibo ou alugo com contrato e recebo recibo

A minha dúvida é o valor da renda neste caso com recibo seria dedutível no IRS a entregar em 2014?

Obrigado

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

esta é novidade para mim.... pensava que o recibo era sempre obrigatório. quem o informou?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

foi a pessoa que me apresentou a casa

diz que passa recibo mas a renda fica um pouco mais elevada e que as rendas nao sao dedutiveis para o meu IRS, ou fazemos contrato sem registar nas finanças não há recibo e fica mais em conta a renda

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Alugueres sem contrato e logo sem recibos, já conhecia, agora com contrato mas sem recibo nunca tinha ouvido.

o senhorio está a fazer-se passar por esperto, quer salvaguardar os seus direitos com um contrato, mas depois quer fugir aos impostos não passando recibo. 

as despesas com rendas para habitações permanentes ainda entram no IRS de 2014 e vão continuar a entrar até 2015 ou 2016, acho eu, embora sempre com valores menores. A menos que o seu escalão seja tão elevado que irá deixar de receber IRS, para 2013 as deduções máximas para cada escalão serão

Até 7.000 ............................ Sem limite

De mais de 7.000 até 20.000 .......... 1.250 euros

De mais de 20.000 até 40.000 ......... 1.000 euros

De mais de 40.000 até 80.000 ......... 500 euros

Superior a 80.000 .................... 0 euros

ou seja um escalão tão baixo, que não faz nenhuma retenção na fonte e logo não está lá nada para ir buscar

o estranho disto tudo é que você com o contrato, pode ir registá-lo às finanças e lixa-o por fica assim não vai conseguir fugir aos impostos, que é o que ele está a merecer, pedir o contrato mas sem os recibos para ficar com a renda mais baixa e depois ir registar o contrato às finanças. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Só uma perguntinha, a propósito do post do pauloagsantos que diz o seguinte:

Até 7.000 ............................ Sem limite

De mais de 7.000 até 20.000 .......... 1.250 euros

De mais de 20.000 até 40.000 ......... 1.000 euros

De mais de 40.000 até 80.000 ......... 500 euros

Superior a 80.000 .................... 0 euros

Supondo que um inquilino morava numa casa pela qual pagava 300€/mês , 3600€/ano.

Se essa pessoa tivesse um rendimento bruto de por exemplo 10000€/ano, iria agora deduzir esses 3600€ do rendimento bruto, baixando de categoria, passando assim a pertencer à categoria de quem tem até 7000€ e pagando impostos sobre 5400€.

Mas neste caso, como existe um limite de 1250€, o valor baixaria então não para 5400€ mas para 8750€.

É assim que funcionam os impostos cá em Portugal?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Não trovial, se uma pessoa ganhasse 10.000 euros brutos por ano, mediante o número de filhos, se é casado, se o conjugue trabalha ou não seria enquadrado num escalão e retia mensalmente x% do ordenado, vamos supor 5%. no final do ano tinha pagado adiantado 500€ de IRS ao estado.

depois quando fizesse o IRS, ira fazer-se todas as contas e tratar dos acertos, mas nunca poderia ir buscar mais do que os 500€ que já tinha adiantado ao Estado.

Se paga 300€ por mês em renda, 3600 por ano, e pode deduzir 10% do valor, dava 360€, dos 500€ iria recupera 360 €.

Se paga 3000€ por mês em renda (era engraçado com um ordenado de 10.000 por ano) os 10% dava 3.600€, mas só ia buscar os 500€ que tinha pagado de adiante. Mas se o ordenado fosse maior, tinha feito mais retenção, mas  nunca poderia is buscar mais do que os valores que estão na tal tabela

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Realmente bem reparado André, esse artigo vai contra algumas das coisas que eu tinha como certas no que a rendas diz respeito.

Aliás esse artigo acaba por não ser muito explicito.

Existe algo em que é explicito e que eu não sabia, diz que para os novos contratos, ou seja contratos feitos este ano (presumo), já não existem deduções.

"Por sua vez, os montantes suportados com rendas para habitação própria e permanente continuam a poder ser deduzidos também em 15%. No entanto, há que ter em atenção que cada contribuinte só pode deduzir até um máximo de 591 euros e que os novos contratos já não têm direito a estas deduções. Ainda assim, o limite de 591 euros é elevado para 886,5 euros no caso de contribuintes que ganhem até 7.410 euros por ano (segundo escalão de rendimentos). Já quem ganhe entre 7.410 e 18.375 euros anuais, o tecto é de 709,2 euros e quem receba entre 18.375 e 42.259 euros, pode deduzir até 650,1 euros. Nos próximos anos, estas deduções vão descer mais ainda até serem totalmente eliminadas em 2016. As deduções com as rendas acabam um ano mais tarde, em 2018."

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Artigo 85.º

Encargos com imóveis 

1 - São dedutíveis à colecta 15 % dos encargos a seguir mencionados relacionados com imóveis situados em território português ou no território de outro Estado membro da União Europeia ou no espaço económico europeu desde que, neste último caso, exista intercâmbio de informações:(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

a) Juros de dívidas, por contratos celebrados até 31 de Dezembro de 2011, contraídas com a aquisição, construção ou beneficiação de imóveis para habitação própria e permanente ou arrendamento devidamente comprovado para habitação permanente do arrendatário, até ao limite de (euro) 591;(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

B) Prestações devidas em resultado de contratos celebrados até 31 de Dezembro de 2011 com cooperativas de habitação ou no âmbito do regime de compras em grupo, para a aquisição de imóveis destinados a habitação própria e permanente ou arrendamento para habitação permanente do arrendatário, devidamente comprovadas, na parte que respeitem a juros das correspondentes dívidas, até ao limite de (euro) 591;(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

c) Importâncias pagas a título de rendas por contrato de locação financeira celebrado até 31 de Dezembro de 2011 relativo a imóveis para habitação própria e permanente efectuadas ao abrigo deste regime, na parte que não constituam amortização de capital, até ao limite de (euro) 591;(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

d) Importâncias, líquidas de subsídios ou comparticipações oficiais, suportadas a título de renda pelo arrendatário de prédio urbano ou da sua fracção autónoma para fins de habitação permanente, quando referentes a contratos de arrendamento celebrados a coberto do Regime do Arrendamento Urbano, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 321-B/90, de 15 de Outubro, ou do Novo Regime de Arrendamento Urbano, aprovado pela Lei n.º 6/2006, de 27 de Fevereiro, até ao limite de (euro) 591.(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Então celbrando contrato agora ainda posso deduzir até ao limite de 591€ é isso?

obg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

Aquela minha citação é para o irs referente a 2012.

Para o irs referente  a 2013 ( a entregar em 2014), pode deduzir 15% do valor das rendas com o limite de 502:

Artigo 85.º

Encargos com imóveis 

1 - São dedutíveis à colecta 15% dos encargos a seguir mencionados relacionados com imóveis situados em território português ou no território de outro Estado membro da União Europeia ou no espaço económico europeu desde que, neste último caso, exista intercâmbio de informações:(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

a) Juros de dívidas, por contratos celebrados até 31 de dezembro de 2011, contraídas com a aquisição, construção ou beneficiação de imóveis para habitação própria e permanente ou arrendamento devidamente comprovado para habitação permanente do arrendatário, até ao limite de (euro) 296;Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

B) Prestações devidas em resultado de contratos celebrados até 31 de dezembro de 2011 com cooperativas de habitação ou no âmbito do regime de compras em grupo, para a aquisição de imóveis destinados a habitação própria e permanente ou arrendamento para habitação permanente do arrendatário, devidamente comprovadas, na parte que respeitem a juros das correspondentes dívidas, até ao limite de (euro) 296;Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

c) Importâncias pagas a título de rendas por contrato de locação financeira celebrado até 31 de dezembro de 2011 relativo a imóveis para habitação própria e permanente efetuadas ao abrigo deste regime, na parte que não constituam amortização de capital, até ao limite de (euro) 296;Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

d) Importâncias, líquidas de subsídios ou comparticipações oficiais, suportadas a título de renda pelo arrendatário de prédio urbano ou da sua fração autónoma para fins de habitação permanente, quando referentes a contratos de arrendamento celebrados a coberto do Regime do Arrendamento Urbano, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 321-B/90, de 15 de outubro, ou do Novo Regime do Arrendamento Urbano, aprovado pela Lei n.º 6/2006, de 27 de fevereiro, até ao limite de (euro) 502. (Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

[/l]

Share this post


Link to post
Share on other sites

Posted · Report post

bom dia

tenho um pequeno apartamento e por razões financeiras pretendia alugá-lo. Serei muito penalizada no irs? Posso alugar estando ainda a 6 anos de acabar de o pagar? posso ser eu a redigir um contrato? Hás algum modelo fiável na net, para copiar?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Your content will need to be approved by a moderator

You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.